08 agosto 2014

Tentando Entender...


Tudo aconteceu de maneira tão rápida, que nem nos meus pensamentos mais profundos e nas minhas lembranças mais antigas consegui identificar o momento exato que tudo começou. Acho que talvez por nunca ter passado por isso antes, fiquei com medo de enfrentar e tentar compreender o que estava acontecendo.
     Por muito tempo tentei fugir, fingir que todas as coisas que estava sentido não passavam de uma loucura de uma menina boba que se aproximava e se apegava muito rápido as pessoas. Afinal não sou a melhor pessoa do mundo para conseguir entender e interpretar sentimentos, pois perdi as contas de quantas vezes já sofri por causa disso.
     Entretanto o tempo sempre foi meu amigo, e não seria dessa vez que ele me abandonaria. Passei dias pensando em tudo que estava acontecendo, quando olhava para ele meu coração acelerava e minha boca ficava seca e tudo parecia ser perfeito. A cada dia que passava ficava mais impressionada com jeito dele, com a forma carinhosa que ele tratava as pessoas e principalmente com o seu olhar que cada vez me deixava mais encantada.
     Todas as coisas se encaixavam perfeitamente e comecei a ter uma ideia absurda, será que estava ficando apaixonada? Não seria cedo demais e não poderia definir que estava sentindo algo tão forte em tão pouco tempo, mas na verdade era isso que acontecia o que estava sentindo era algo indefinido. Uma mistura de amizade com encantamento talvez, ou mesmo uma atração muito forte que me deixava naquele estado.
     Os dias perto dele se tornam cada vez mais especiais e tudo parecia tão mágico quando ele estava perto de mim, quando ele me olhava e sorria o sentia tão próximo e ao mesmo tempo tão distante. A minha coragem não permitia que eu confessasse o que sentia e a vontade imensa de não apenas mais uma garota no meio de tantas, o que fazia com minha angustia se tornasse cada vez maior.
     Idiota, esse era o nome pelo qual eu me chamava todas as vezes que perdia oportunidades valiosas de falar com você e foi assim também que me chamei depois que me despedi de você sem ao menos demonstrar de forma sutil o que sentia. Parecia que tudo estava dando errado e que de fato não era para acontecer, o que me fazia pensar em esquecer tudo que sentia e fingir que não passava de um delírio, uma loucura da minha imaginação.
    Porém comecei a conversar com ele pela internet e isso fazia com tudo que havia sentido e estava tentando esquecer voltasse de forma mais forte. Com efeito acabei sentindo uma liberdade maior para dizer o que estava sentido, pois mesmo com medo acho que contar algo assim pessoalmente é bem mais complicado, principalmente quando você não tem a mínima ideia de como será a reação da pessoa.
     Inesperadamente a reação dele foi algo que fez meu coração sorrir, ou melhor, pular de alegria, saber que ele sentia algo parecido me deixou feliz e principalmente aliviada. Afinal meu maior medo era de mais uma vez me decepcionar, mas ele me fez acreditar novamente em “sentimentos impossíveis”.

     Dessa forma continuo aqui tentando entender o que sinto por ele, mas o meu coração ainda não consegui interpretar de forma concreta. Só sei que é algo além de uma amizade, e que me deixa feliz de uma maneira incondicional. Inquestionavelmente essa historia está apenas no começo, e quem sabe um dia ainda escreva um final feliz sobre ela.

2 comentários:

  1. Que lindo!!!!! Adorei!

    Beeijo
    http://blogandocomadeni.blogspot.com.br/2014/08/oleo-de-argan-da-avon-sera-que-gostei.html

    ResponderExcluir

© Luciana Algarves-Blog - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Luciana Algarves.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo